Depoitre já conhece a famosa estrutura do Porto

Quem, como eu, nasceu nos anos 80, cresceu a ouvir falar na famosa estrutura do Futebol Clube do Porto. A estrutura era uma entidade que incluía todo o staff do clube, desde os olheiros ao departamento legal passando pelo departamento médico e que era encabeçada pelo Presidente Pinto da Costa e que permitia estar sempre um passo à frente da concorrência. Quando as coisas corriam mal, para o portista resolviam-se de forma simples, bastava confiar na estrutura. E, mais tarde ou mais cedo elas resolviam-se. E, como se confirmou, todas as críticas que se faziam a estrutura eram manifestamente exageradas. Foi graças à estrutura que o Porto se livrou de ser suspenso da participação da Champions League, foi graças à estrutura que o Porto se reergueu depois de ter sido severamente ferido por gente da estirpe de Octávio Machado e foi graças à estrutura que o Porto superou o "Estoril Gate" ou o túnel da Luz e voltou ainda mais forte.

Infelizmente, ninguém é eterno e Pinto da Costa, fruto da idade e dos problemas de saúde que o atacaram já não terá a pujança física para gerir o Futebol Clube do Porto como o fazia há uns anos. E isso, não devia, mas está intrinsecamente ligado ao desabamento da estrutura. De facto, à ruinosa gestão financeira que a SAD trouxe para o reino do Dragão, juntou-se nos últimos anos uma péssima gestão desportiva que culminou em três anos de seca. E, pior do que tudo, juntou-se agora a incompetência grosseira, o auto-enxovalho, a derradeira humilhação. O Porto, numa demonstração de um amadorismo indigno de quase 123 anos de história, conseguiu inscrever no playoff da Champions League um atleta, o reforço Depoitre, contratado no limite do prazo de inscrições para a eliminatória com a Roma, que não pode jogar por já ter participado em pré-eliminatórias pelo anterior clube. Brilhante.

Os dirigentes serão, mais ou menos os mesmos de há vários anos para cá. E isto deixa duas hipóteses, ou a estrutura era Pinto da Costa e os restantes elementos já eram incompetentes, ou tornaram-se incompetentes "do nada". De uma forma ou de outra, são todos pagos a peso de ouro para fazerem disparates. Fica a pergunta: o que é que ainda lá estão a fazer?

Obviamente que os adeptos e sócios do Futebol Clube do Porto mereciam um esclarecimento oficial. Mas provavelmente amanhã o Dragões Diário preferirá indicar mais uns links do youtube do que informar os portistas.

Tic Tac, Tic Tac, o ano está a acabar

Dentro de pouco mais de 24 horas termina oficialmente a época desportiva 2015/16. Isto significa que falta muito pouco tempo para que as contas da temporada também fechem. E o Porto, que tinha um orçamento para cumprir, ainda tem muito que fazer até o conseguir. Até lá, será necessário fazer muitos milhões em mais-valias resultantes da venda de jogadores. O número, ao certo, ninguém fora da SAD sabe, mas serão pelo menos 40, 50 ou 60 milhões. Muito dinheiro.

Se o Porto não vender até amanhã, apresentará mais um prejuízo de dimensões tristemente épicas. As consequências é que serão catastróficas. Com um prejuízo superior a 8 milhões, o Porto não cumprirá o fair-play financeiro e, não o cumprindo, ficará sobre a alçada da UEFA. A punição, algo imprevisível, poderá ir de uma redução do número de jogadores a ser inscritos nas provas europeias até à total suspensão de participação nestas, tal como aconteceu com o Galatasaray.

Amanhã deverá ser, infelizmente, um dia muito animado para os lados do Dragão, a fazer lembrar o último dia do mercado de transferências. Para fazer as dezenas de milhões de mais-valias necessárias, e dado que poucos são os atletas cujo passe nos pertence na totalidade, serão necessárias três ou quatro vendas, a não ser que alguém ofereça 50 milhões por um jovem da nossa formação. Teremos mais um plantel desmantelado. Esperemos que seja o último, ou Pinto da Costa terá mentido na última entrevista que deu.

Independentemente do que suceda amanhã, uma coisa é absolutamente certa. Só chegamos a este ponto devido à gestão financeira ruinosa dos últimos anos, área onde tem grassado a incompetência, o desvario e o clientelismo. Fernando Gomes deveria preocupar-se mais em gerir as finanças da SAD e menos em tratar das finanças de familiares de dirigentes. Ficávamos todos a ganhar. Todos menos os benfiquistas, os sportinguistas e os familiares dos dirigentes.

Época nova, vícios antigos

O Futebol Clube do Porto iniciou hoje a preparação para a nova temporada. Este texto, e ao contrário do que seria expectável, não se debruçará sobre a equipa principal, mas sim sobre a equipa B. Discretamente, sem qualquer anúncio formal, surgiram no primeiro dia 3 reforços para a equipa
liderada por Luís Castro. Um jovem vindo da Académica, António Xavier, cuja contratação já era falada há alguns meses e dois miúdos brasileiros, Danilo e Galeno, provenientes de um clube da terceira divisão do Brasil, o Grémio Anápolis.

Estes dois brasileiros são mais dois a juntar a uma imensidão de jovens vindos do país-irmão, e que, invariavelmente, passam com pouco relevo na nossa equipa B. De entre alguns com um mínimo destaque, casos de Sebá, Dellatorre ou Rodrigo (o primeiro a ficar mais do que uma temporada), há outros dos quais a maioria dos adeptos nunca terá ouvido falar ou já nem se lembra que existem, casos de Victor Luís, Diogo Mateus, Enrick Santos e os dois Andersons, fora os que passaram umas férias na equipa junior. O que é evidente é que esta política não tem tido resultados. Nenhum dos jogadores contratados nestas condições tem mostrado talento para um dia ser jogador da equipa principal e alguns deles nem para jogar na equipa B têm mostrado capacidades.

Não conheço os dois atletas agora contratados. Espero que sejam dois craques. Seria sinal que se tinha, finalmente, acertado. À 10ª tentativa, já não era sem tempo.

Por fim, convém verificar que tipo de clube é o Grémio Anápolis. É um clube recente, da terceira divisão brasileira, que tem sido um viveiro de jogadores para vários clubes brasileiros. Curiosamente, o dono do clube chama-se António Teixeira. Esse mesmo, o empresário que aconselhou o Porto a renovar com o atleta André Silva e ganhou uma fortuna com isso.